Home > Polícia > Após ser liberada, mãe suspeita de abandonar filha com microcefalia no AM é denunciada por ameaçar vizinhos

Após ser liberada, mãe suspeita de abandonar filha com microcefalia no AM é denunciada por ameaçar vizinhos

A mulher de 30 anos suspeita de abandonar a filha com microcefalia em um apartamento, na Zona Sul de Manaus, foi novamente denunciada. Segundo vizinhos, ela teria retornado ao local e feito ameaçadas de morte a moradores que denunciaram o crime. A menina de 8 anos foi levada para o abrigo Moacyr Alves.

Na última sexta-feira (6), a mulher foi presa em flagrante e encaminhada a Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca). Ela passou pela audiência de custódia e recebeu liberdade provisória, com cumprimento de medidas cautelares.

Após ser liberada, os vizinhos denunciaram novamenteo a mulher. Eles disseram ter sido ameaçados de morte com um facão.

“Ela veio aqui ontem (9) ao meio-dia para pegar as coisas dela, mas o apartamento estava trancado, porque o dono trocou as chaves e ela veio aqui na minha porta me ameaçar. Disse que vai mandar me matar e eu vou morrer. Falou que a culpa foi toda minha e disse que eu fiz a denúncia, mas eu não fiz”, disse uma vizinha, que não quis ser identificada.

Após a ameaça, a moradora registrou um Boletim de Ocorrência no 3º Distrito integrado de Polícia (DIP). A mãe também teria ameaçado, uma dona de casa de 23 anos, vizinha da família.

“Ela ameaçou a outra vizinha também. Voltou ontem de noite com familiares para pegar os pertences dela do apartamento e me ameaçou com uma peixeira (tipo de facão). Eu não tenho medo dela, tenho família”, disse a mulher.

Resgate
A criança foi encontrada sozinha em um apartamento pelos vizinhos. Ela ficou mais de 15 horas trancada, deitada na cama com uma sonda.

Segundo a denúncia, a mãe teria deixado a menina por volta das 20h, no dia 3 de abril, para supostamente encontrar com o namorado. De acordo com a conselheira tutelar Cristiane dos Anjos, a mãe só retornou para casa por volta das 13h do dia 5.

Cristiane contou que a criança tinha os movimentos limitados e precisava de cuidados especiais. Ela era alimentada por uma sonda, que acabou atraindo formigas. Na ocasião do resgate, o rosto e os ombros da menina estavam cobertos por ferimentos feitos pelos insetos.

A conselheira tutelar nformou que a criança deve passar no mínimo 6 meses acolhida no Abrigo Moacyr Alves, na Zona Oeste da capital. Passado o período, a Justiça deverá decidir o destino da menina.

Fonte: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *