Home > Política > Em troca de ajuda financeira para Irlanda do Norte, May fecha acordo com unionistas

Em troca de ajuda financeira para Irlanda do Norte, May fecha acordo com unionistas

A premiê britânica, Theresa May, fechou acordo nesta segunda-feira (26) com o Partido Unionista da Irlanda do Norte (DUP). Após o fracasso do Partido Conservador nas eleições legislativas, ela precisava da aliança com o polêmico partido para conseguir a maioria necessária para governar.
Em troca do apoio, a líder do DUP, Arlene Foster, afirmou que o Reino Unido concordou em dar uma ajuda financeira de 1,2 bilhões de euros (R$ 4,49 bilhões) para a Irlanda do Norte nos próximos dois anos, segundo a Reuters.
“Saudamos este apoio financeiro de um bilhão de libras nos próximos dois anos”, anunciou Foster, em Downing Street (residência oficial da premiê britânica).
Os conservadores têm 317 das 650 cadeiras da Câmara dos Comuns. Com as 10 do DUP, a base da primeira-ministra vai superar mais da metade dos deputados, segundo a France Presse. “O DUP apoiará o governo conservador nas votações do discurso da rainha, do orçamento, da legislação sobre o Brexit e da segurança nacional”, explicou May em um comunicado.
A aliança atrai muitas críticas, especialmente em razão do conservadorismo social da formação norte-irlandesa, ferozmente oposta ao casamento gay e ao aborto. A dependência DUP também levanta questões, por exemplo, sobre a neutralidade do governo britânico na região da Irlanda do Norte, sujeita a fortes tensões.
A oposição criticou o custo do apoio dos unionistas. “Claramente, o acordo Conservador-DUP não responde aos interesses do país, e sim ao interesse do partido de May de deixá-la no poder”, disse Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista, o principal da oposição.
“De onde vem o dinheiro para o acordo? As outras regiões do Reino Unido receberão o tão necessário financiamento adicional que a Irlanda do Norte receberá como parte do acordo?”, questionou Corbyn.
Alívio para May
Theresa May tem a garantia de superar a moção de confiança que deve enfrentar esta semana, quando a Câmara dos Comuns votará sobre o discurso da rainha Elizabeth II, que divulgou o programa legislativo dos próximos dois anos.

Além disso, a premiê ganha um pouco mais de tranquilidade no início das negociações de divórcio com a União Europeia (UE), que começaram há poucos dias e devem durar dois anos.
Apesar do DUP ter apoiado o Brexit no referendo de 2016, o partido deseja que a fronteira com a Irlanda – a única terrestre entre o Reino Unido e a UE – permaneça aberta para não prejudicar a economia local.
Com o anúncio, Foster conquista o poder de afundar ou manter viva May e seu governo, de acordo com a France Presse. Porém, não consegue formar o governo em sua província, rejeitada pelo Sinn Fein católico por sua suposta relação com um escândalo de corrupção.
O dia 29 de junho é a data limite determinada pelo governo britânico para que o DUP e o Sinn Fein formem um governo de coalizão ou poderia suspender a administração norte-irlandesa e administrar a província diretamente a partir de Londres.

Fonte: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *