Home > Polícia > Homem é assassinado oito dias após deixar regime fechado em Manaus

Homem é assassinado oito dias após deixar regime fechado em Manaus

Oito dias após ser transferido para o regime semiaberto, um presidiário de 32 anos foi assassinado no Centro de Manaus, na noite desta terça-feira (25). Ele foi alvejado por dois disparos, minutos após encontrar a filha dele nas proximidades da praça da Matriz. Os suspeitos fugiram e ainda não foram presos.
O crime ocorreu por volta das 21h, próximo a esquina entre as ruas Tamandaré e São Luís. De acordo com testemunhas, dois homens ainda não identificados começaram a conversar com a vítima e depois fizeram os disparos, que atingiram o homem no abdômen.
Policiais da 24ª Companhia interativa Comunitária (Cicom) atenderam a ocorrência. Segundo informações repassadas pela polícia, a vítima havia marcado um encontro com a filha na parada de ônibus da igreja da Matriz. minutos antes do crime.
“Ele [vítima] iria entregar umas coisas que ele tinha comprado para a filha. Ele pediu para ela esperar lá que ele iria trazer mais coisas. Então ele veio para cá (na rua Tamandaré), em frente da praça. Aparentemente a vítima conhecia os suspeitos. Quando chegamos aqui ele ainda estava vivo. Chamamos o Samu, mas ele não resistiu”, disse o tenente da 24ª Cicom Augusto Leite.
Uma equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), foi acionada e atestou a morte.
Após disparar, a dupla fugiu a pé. A filha da vítima ouviu os disparos e foi até o local do crime. Emocionados, os familiares não quiseram falar com a imprensa.
De acordo com a polícia, a vítima não morava em um local fixo. Ele se hospedava em diversos hoteis do Centro, onde costumava ficar alguns dias e, logo depois, se mudava.
A vítima foi presa em 2011 acusada de cometer homicídio. O homem foi julgado e passou a crumprir pena em regime fechado no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj). Na segunda-feira (17) ele foi posto em regime semiaberto.
O caso deve ser investigado pela Delegacia Especializadas em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *