Home > Polícia > Jovem é sequestrado, torturado e morto por não delatar localização de irmão para traficantes em Manaus, diz família

Jovem é sequestrado, torturado e morto por não delatar localização de irmão para traficantes em Manaus, diz família

Um jovem de 21 anos foi assassinado com dez tiros no início da manhã desta quarta-feira (10), na comunidade João Paulo, no bairro Jorge Teixeira, na Zona Leste de Manaus. Santiago Inuna Corrêa foi sequestrado na tarde de terça-feira (9) e grupo de traficantes de drogas queria que autônomo revelasse a localização do irmão que teria uma dívida com o tráfico.

A área onde corpo foi achado fica localizada em um córrego nas proximidades da rua Caju. Segundo a 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), por volta das 6h, o corpo foi encontrado por moradores e familiares da vítima que realizaram buscas na área após ouvir disparos de cinco tiros.
“Ouvimos os tiros e vimos que tinham marcas de sangue e a mata estava amassada. Procuramos e encontramos o corpo no córrego e ele estava com mãos amarradas”, contou um familiar.

De acordo com uma tia, que prefere não ser identificada, Santiago Corrêa desapareceu depois que saiu de casa na rua Mari Mari, por volta das 16h de terça.

“Por volta das 4h30, a mãe dele ouviu um barulho na rua e foi olhar o que estava acontecendo pela fresta da janela. Ela viu que tinha uns homens com Santiago e um deles estava com arma apontada na cabeça no meu sobrinho. A mãe dele se desaspareceu e gritou Santiago. Foi quando eles saíram levando meu sobrinho. Passaram a moite rodando com ele”, contou a tia.

A família suspeita que os criminosos sequestraram e torturaram o autônomo para que ele informasse onde o irmão dele, de 24 anos, estava escondido. O irmão, que já foi preso por tráfico de drogas, teria uma dívida com traficantes e seria o alvo do grupo.

Uma equipe da 30ª Cicom foi ao local e isolou a área até chegada dos peritos do Departamento Polícia Técnico-Científica (DPTC). A vítima foi morta com tiros na cabeça, costas e braços.

O corpo foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) e permanecerá no órgão até ser liberado por familiares. A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) investigará o crime.

Fonte: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *